Assine o Feed

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Review: Ookami to Koushinryou I e II



Leandro Nisishima

 
A sábia deusa Horo


Pensava em analisar apenas a segunda temporada (que acabei de assistir), mas como ficaria estranho publicar a review da segunda temporada sem a primeira resolvi simplesmente colocar tudo junto. Ookami to Koushinryou é mais um daqueles animes, que como tantos outros começa com uma temporada de 12 ou 13 episódios, e só tem uma segunda caso haja retorno financeiro. E como já deu para perceber por esse raciocínio, o título desfruta de alguma popularidade no Japão, tanto que a novel original já ganhou até mesmo um artigo no Mainichi Shinbun, um dos maiores jornais do país.

Ookami to Koushinryou começa contando a história de Craft Lawrence, um comerciante comum, que vive num mundo muito parecido com a Europa Medieval. Em uma das suas andanças num vilarejo do sul, ele acaba se encontrando com uma deusa em forma de lobo chamada Horo, que segundo acreditam os habitantes do local, tem a capacidade de garantir boas colheitas as pessoas. No entanto, com o avanço na agricultura e nas técnicas de cultivo, o culto a Horo tem diminuído e essa aparece em frente de Lawrence portando a sua forma humana.

Se auto intitulando como Horo, a sábia, a garota com orelhas e rabo de lobo decide viajar com Lawrence, já que depois de algumas discussões esse decide levá-la até a sua terra natal, um vilarejo ao norte chamado Yoitsu. A partir daí Horo e Lawrence passarão por várias aventuras. E por mais clichê que a frase possa parecer, esqueça completamente do padrão de aventura introduzido por boa parte dos animes e mangás. Como bem dito anteriormente, Lawrence é apenas um comerciante comum. Ele não possui poderes especiais e nada que o diferencie de um humano normal.

A sua única habilidade é a de comerciante, e sendo assim, esse será o grande foco do anime. Quem gosta de assuntos relacionados a comércio amará Ookami to Koushinryou e mesmo quem não gosta poderá começar a pelo menos dar mais atenção ao tema. O papel de Horo na história será o de auxiliar Lawrence em seus negócios, já que a experiência como uma deusa antiga realmente está presente em Horo, não é apenas uma divindade de fachada como acontece com tantas outras personagens no estilo.

Além disso, um dos pontos altos são os comentários irônicos que Horo faz de Lawrence. Na primeira temporada vemos o quanto esse último se deixa levar facilmente pelos comentários da simpática loba, enquanto que com o passar do tempo Lawrence começará a responder e ironizar os comentários de sua companheira. Mesmo Horo, mudará a sua forma de pensar em relação a Lawrence, mostrando que o anime, desde cedo, dá grande enfoque aos personagens.

De um modo geral, a história das duas temporadas pode ser dividida em quatro arcos, dois para cada temporada. Todos eles dão enfoque a algum tipo de negócio na qual Lawrence se envolve. A primeira temporada se utiliza de casos onde Lawrence tem uma importância maior e envolve troca de moedas e contrabando de ouro. Já na segunda, a presença de Horo é grande, na medida em que as negociações a envolvem, tanto por causa de comerciantes interessante em "namorá-la", quanto em simplesmente vendê-la em troca de dinheiro.

O interessante é que cada arco de história vai aos poucos introduzindo o fascinante universo de Ookami to Koushinryou. É um dos poucos animes da atualidade a usar a realidade nua e crua para criar o seu enredo. Os únicos detalhes mais fantasiosos são justamente a Horo e alguns lobos de tamanho irreal. Mas de resto, a fantasia no anime vem justamente da ambientação de uma Europa feudal rumo ao mercantilismo, das intrigantes trocas comerciais, guildas de comerciantes, câmbio de moedas e outros assuntos relacionados a comércio e por vezes economia.

No meio desse mundo e enredo vamos aos poucos sendo apresentados a personagens diferentes, que nem sempre serão amigáveis com Lawrence, cada qual apenas pensando em si mesmo e no lucro que poderá ter com determinado negócio. Diria que poucas são as personagens no anime que agem por pura bondade e benevolência. E isso ajuda a contar pontos, já que personagens estereotipados aparecem em pouca quantidade e por isso a história sempre está cercada de mistério. Por se tratar de um tema com várias possibilidades de desfecho e rumo, os arcos de Ookami to Koushinryou são imprevisíveis e só mesmo tendo alguma noção de comércio para poder fazer suposições em torno do enredo.

Talvez a segunda temporada deixe pistas mais claras, já que embora Lawrence continue sendo um comerciante frio e calculista, o fato das trocas envolverem Horo nessa segunda parte da história mexerá com o lado pessoal dele, o que ajuda em grande escala na hora de adivinhar as ações do rapaz. Mas de um modo geral, cada episódio de Ookami reservará uma nova surpresa. Vale dizer também que a produção do anime passou pelas mãos do IMAGIN e do Brains Base. Não houve mudanças significativas na forma de se produzir o anime, diria apenas que a animação do Brains Base é mais constante.

O IMAGIN é um estúdio extremamente pequeno, mas mesmo assim soube produzir uma bela primeira temporada. Sempre gosto de destacar o cuidado dado aos cenários e a boa coloração utilizada nos cenários campestres, nos grandes castelos e portões das cidades. Em termos de ambientação Ookami é um anime sensacional. Não é surpresa nenhuma que até o Mainichi Shinbun tenha dado atenção a novel original.


Horo novamente ironizando Lawrence


Nota: 8,5 - Ookami to Koushinryou é um anime ambientado num perfeito cenário de RPG. Mas ele é tudo menos isso. Aqui temos um simples comerciante que sai em viagem com uma sábia deusa loba, numa missão que envolve trocas comerciais e outros assuntos que simplesmente nunca foram abordados em jogos e animes no estilo. Só por esse detalhe é possível perceber o quanto esse título é único.
Share this post
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...

1 comentários

  1. Gosto muito de Spice and Wolf (prefiro o nome em inglês). Vi recentemente as duas temporadas seguidas e admito que a primeira não me conquistou muito, entretanto a segunda consiguiu gerar em mim uma ótima impressão da série.
    Além do gráfico ter ficado bem mais bonito, as histórias, personagens secundários (adorei aquela alquimista de cabelos negros *-*) e até mesmo a relação entre os protagonistas me pareceu mais funcional e interessante.
    Horo, a sábia, (adorava quando ela se entitulava assim) e Lawrence formam um casal muito fofo.
    Brain's Base fez um ótimo trabalho e torço pra que se houver uma nova temporada, continue com esse estúdio.

    ResponderExcluir

:) :-) :)) =)) :( :-( :(( :d :-d @-) :p :o :>) (o) [-( :-? (p) :-s (m) 8-) :-t :-b b-( :-# =p~ :-$ (b) (f) x-) (k) (h) (c) cheer

 
© Kotatsu Shinbun
Designed by BlogThietKe Cooperated with Duy Pham
Released under Creative Commons 3.0 CC BY-NC 3.0
Posts RSSComments RSS
Back to top