Assine o Feed

segunda-feira, 9 de novembro de 2009

Review: Higashi no Eden

[ atualizado em 10-11-2009: review do integrante Carlírio ]

Leandro Nisishima


Akira em sua primeira aparição no anime.

Antes mesmo da sua estréia, Higashi no Eden foi colocado num alto pedestal, afinal seria a nova série do bloco NoitaminA que já nessa época começava a se firmar como um grande programa revelador de novos e inovadores animes. Higashi no Eden substituiria Genji Monogatari, que embora fosse uma boa conversão do romance mais antigo do Japão (alguns dizem do mundo também), não teve boa aceitação.

Quanto a Higashi no Eden um trailer foi exibido semanas antes do início do anime e deixou os espectadores com água na boca. O vídeo em si não era tão revelador, mas mostrava situações um tanto quanto incomuns em animes e numa localidade fora do Japão, mais especificamente na Casa Branca. Nesse local somos apresentados a protagonista Saki Morimi, que está de viagem pela terra do Tio Sam, e ao visitar a Casa Branca, se encontra com um estranho rapaz que aparece pelado e portando apenas um estranho celular. O garoto a livra de alguns policiais que haviam vindo interrogá-la.

Passado os problemas, o rapaz se apresenta como Takizawa Akira, que assim como Saki, também é japonês (até pelo nome). Porém, Akira não se lembra ao certo porque está nos EUA e nem quem ele era antes de desembarcar no país. A única pista concreta do seu passado é o estranho celular que tem em mãos. Por sinal, o aparelho não é apenas um celular comum, tendo várias outras funções que qualquer ser humano adoraria ter em sua própria máquina. Em primeiro lugar, o aparelho conta com um crédito de 8.200.000.000 ienes.

Tal dinheiro pode ser usado por Akira da maneira como ele bem entender, contanto que ainda haja crédito. A pessoa que o atende do outro lado da linha se autodenomina Juiz, e diz que Akira tem uma grande obrigação a cumprir. E o ponto especial e único de Higashi no Eden é justamente os mistérios por trás desse celular e dessa obrigação que Akira terá de cumprir. Ao longo da história se descobre que não somente ele está envolvido no caso, como outras várias pessoas, todas portando o mesmo celular que ele. E o pior, com as mesmas funções.

O interessante é notar como cada pessoa usa os seus quase infinitos créditos, alguns os utilizando para proveito próprio e outros para o bem das pessoas. Mas é claro que o anime não se limita a apenas isso. Cada personagem tem ligação com um esquema maior que os controla e também os escolheu para portar o estranho celular. Ao longo dos episódios cada uma dessas ligações vão sendo esclarecidas e esse clima de mistério é o grande triunfo do anime, já que desde o começo cria uma grande expectativa.

Não vou prolongar a discussão para evitar spoilers, porém posso adiantar que a série tem certo conteúdo de crítica social, na medida em que explora um problema bem comum na sociedade japonesa, embora não dê uma solução concreta para ele (apenas indica culpados). Por outro lado, há uma mensagem esperançosa e simbólica no final. Final esse que ficou bem em aberto, até a chegada dos dois filmes já anunciados.

Quanto a parte técnica o Production I.G é um estúdio bem conhecido da maioria e por isso não é de se espantar a boa qualidade técnica e visual da série. E posso afirmar isso mesmo considerando que o estúdio vinha de poucas obras em anos anteriores, mesmo assim souberam dosar e usar na medida certa boa parte das novas técnicas de animação. O único ponto negativo talvez esteja no fato de que nem sempre a computação gráfica se casa bem com os personagens pintados com cores fortes.

Porém de resto é um show a parte, sobretudo no aspecto animação. A cena final do anime deve ter dado um grande trabalho para o estúdio, mas traduz tudo o que disse agora pouco. Além disso, a própria seqüência resume numa só frase a mensagem passada por Higashi no Eden e mostram a quem se dirige a crítica de toda série e de certa forma quem são as alguma das pessoas que podem ajudar a mudar a situação. Sem sombra de dúvidas um dos melhores animes do ano.


Takizawa e o misterioso celular.

NOTA: 9,0/10,0 - Sem dúvidas um dos grandes animes de 2009. Embora a história ainda não tenha sido encerrada, ela foi conduzida perfeitamente e merece ser conferida.

Carlírio Neto

"Um tema diversificado e bem trabalhado, em
um título altamente recomendável..."

A Saki na capital norte-americana...

O anime no qual será aqui relatado poderá colocar você, visitante, em "maus lençóis". O porque desta frase é bem simples: devido ao tema apresentado pelo título, você poderá apreciar demasiadamente o anime, ou então fazer aquela propaganda negativa do mesmo. Entretanto, no ponto de vista deste humilde blogueiro, é muito mais provável que você acabe seguindo o caminho da apreciação pelo anime...

O título Higashi no Eden expõe algumas vertentes da sociedade japonesa na sua frente. Torna-se necessário enfatizar o quanto que o anime prega em informação e vivência na citada característica. Muito embora a linha do tempo seja de algum ano em um futuro próximo, o modo como a sociedade nipônica age ( e de alguma forma, até como pensa ) é bem colocado neste título...

Entretanto, em seu início o anime não aparenta ser assim tão sério, ao menos não em seus primeiros sete minutos. Você é apresentado aos protagonistas da série, sendo eles a jovem Saki e um rapaz de nome Akira. Enquanto que a moça está nos Estados Unidos em virtude de viagem de formatura, as razões para que o rapaz esteja em solo norte-americano são desconhecidas e incertas.

Saki e Akira em um momento de descontração...

Aliás, a forma como a Saki e o Akira se conhecem já é digna o bastante de lembrança. Em todo o caso, ambos acabam voltando ao Japão, que não está dentro da sua normalidade. Após um evento denominado como "Segunda Imprudente", onde um míssil caiu em Tóquio ( e não acabou matando ninguém ), novos mísseis atingiram a capital japonesa ( mas desta vez fazendo vítimas ).

À rigor, o Akira possui um grande poder em suas mãos. Tal poder está em seu exótico e sofisticado telefone. Nele, há uma quantia gritante de dinheiro que deve ser gasta pelo rapaz em sua totalidade. Ao todo, são doze pessoas no território japonês que possuem tal telefone, formando um grupo de nome "Selecao" ( sem o cedilha mesmo ). A missão de um "Selecao" é ser o messias do Japão, da forma que julgar como sendo a mais adequada ou correta.

Além deste estranho grupo, há também um grupo de NEETs do qual a Saki faz parte. Só com estas informações já se faz possível notar o tudo que é englobado no anime. Armações, fantasias, sonhos, anseios, auto-estimas, vinganças: há lugar para todas estas características em Higashi no Eden, onde necessariamente uma não se sobressai à outra, havendo com isso uma boa harmonia entre as mesmas.

Contando com um ótimo trabalho visual, e uma atuação primorosa por parte de todos os personagens ( por mais que a estória se centralize na Saki e no Akira ), Higashi no Eden é um título que poderá prender a sua atenção de forma consistente e quase única. Decididamente, este é um sério candidato à anime do ano...

Hum... Momento de grande atenção...

NOTA: 9,5/10,0 - Sério candidato à melhor anime de 2009, Higashi no Eden prima pela sua estória e desenvolvimento da mesma.

Share this post
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...

0 comentários

:) :-) :)) =)) :( :-( :(( :d :-d @-) :p :o :>) (o) [-( :-? (p) :-s (m) 8-) :-t :-b b-( :-# =p~ :-$ (b) (f) x-) (k) (h) (c) cheer

 
© Kotatsu Shinbun
Designed by BlogThietKe Cooperated with Duy Pham
Released under Creative Commons 3.0 CC BY-NC 3.0
Posts RSSComments RSS
Back to top