• Breaking News

    sábado, 4 de abril de 2009

    Gaijin no Fest II

    por Thiago3T (Equipe KS)

    No dia 27 de fevereiro aconteceu o Gaijin-No Fest II, no Ópera1, aqui em Curitiba. Organizado pelo Nanael Matsumoto que, com muito esforço, conseguiu realizar a segunda edição. Desta vez contou com seis bandas, sendo quatro convidadas de Santa Catarina. E entre as apresentações, contava com as músicas do DJ Infection.

    Público vazio? Calma. É só a passagem de som...

    Também aconteceu um concurso para eleger as pessoas melhores caracterizadas de Visual Kei, com prêmios entregue aos vencedores.

    Para mim foi uma experiência interessante, já que a primeira vez que fui (tentar) cobrir um evento. Dentre as lições está ir com bateria/pilhas extras, limpar a lente da câmera e programar melhor as entrevistas... “vivendo e aprendendo, errando e se fu******”

    Infelizmente só consegui entrevistar duas bandas (Aizou e Vanishing Vision). Gomen.



    ... agora sim.




    O público soube esperar o atraso que teve até começar, respondendo durante os mesmos. E também recepcionando muito bem as bandas "visitantes" em seus shows.


    A primeira banda foi M.Y.V. - miyavi cover. Com um show acústico, curtiu antes de começar a parte pesada.


    Contando somente com covers da X-Japan, a Vanishing Vision conseguiu agitar o público. A banda "local" foi bastante elogiada. Outro destaque, para os gamers, foi uma cover do tema de Mario Bros.


    A Aizou, de Florianópolis, fez logo no início, a alegria dos otakus (e minha) com God Knows (Suzumiya Haruhi no Yuutsu). Com muita energia no palco, fizeram o público vibrar junto. Outra música que agitou foi Lucy, de NANA.


    A banda seguinte foi Khaos, de Blumenau. Além de covers, tocaram músicas próprias. E terminaram com Chop Suey. Ok, não é J-music, mas fez o público cantar junto. Destaque para vocalista, que possui uma voz potente.

    Fyujion, de Jaraguá do Sul.




    Para quem ficou até o final, não se arrependeu com a Violet Overload, de Blumenau. Conseguiram fazer o público gastar o resto de energia que possuía.

    Banda Kanpai

    Curti muito os shows. Mesmo o meu conhecimento de J-rock não ser muito para julgar a apresentações, mas valeu a intenção, nee?

    *****


    Entrevista - Vanishing Vision



    Tiago Marcon – vocais
    Daniel Hassegawa – guitarra
    Nicolas Neto – guitarra
    Fabio Matoski – baixo
    Johann Sebastian - bateria

    Kotastsu Shinbun: Por que “Vanishing Vision”?
    Vanishing Vision: Como a banda é cover do X-Japan, escolhemos por ser o nome do primeiro álbum do grupo. Tanto que a nossa comunidade do Orkut está com a foto do álbum.

    KS: E por que só covers da X-Japan?
    VV: Existem bandas que tocam covers do X-Japan, mas não uma que seja somente. Essa ser a identidade da banda. Sendo o próprio nome ajuda.

    KS: O TOSHI, um dos integrantes do X-Japan, veio ao Brasil ano passado. Algum de vocês foi ao show dele?
    VV: Infelizmente não. Um amigo nosso de São Paulo que foi, conseguiu autógrafo para nós e ajudou a divulgar a banda. Também tentou levar um CD demo nosso para o TOSHI, mas sem êxito. Os caras da produção do show não deixaram. (risos)

    KS: Você que estiveram no primeiro Gaijin no Fest. Como foi a experiência?
    VV: Foi bem legal. Embora que fomos os últimos a tocar, o público que ficou gostou bastante.

    KS: E expectativa para esta edição? Já que será o oposto, vocês estão entre os primeiros desta vez.
    VV: Melhor. Tanto pelo evento ter maior divulgação, quanto das novidades com as bandas de Santa Catarina. O público maior, também tem interesse de conferir as bandas convidadas.

    KS: A banda existe à quanto tempo?
    VV: A Vanishing Vision tocando e ensaiando, um ano. (Depois de uma discussão sobre quando começaram) A gente ensaia, o que importa é tocar mesmo! (risos)
    Como a comunidade no orkut foi criada em outubro de 2007, então um ano e pouco.

    KS: Quantos shows já fizeram?
    VV: Fizemos um em Santos, e o Gaijin no Fest I. Não tocamos nos matsuris por achar que o público, eclético demais, não curta muito o som proposto da banda. Aqui, no Gaijin, estamos mais em casa. (4:50)
    E também por desencontro dos integrantes. Sempre tinha um viajando. Tanto que hoje também. O Daniel teve que fazer um “xuncho” para estar aqui, pois é aniversário da avó dele. Encontro de família, uma semana. Ficou cinco dias lá e voltou para ensaiar e tocar no show.

    KS: Quais outras referências da bandas, além X-Japan?
    VV: Somos bem eclético. Gostamos de música boa, desde gafieira até Black Metal. Somente tirando samba e pagode atual, e axé.(risos)

    KS: Valeu pela entrevista.
    VV: Valeu!












    Comunidade no orkut, clique aqui.

    *****


    Entrevista – Aizou



    Mariana – vocais
    Shino – vocais
    Davi – guitarra
    Vitor - guitarra
    Ferrera – baixo
    Jhonny - bateria

    Kotatsu Shinbun: O que significa “Aizou”?
    Aizou: Existem dois significados: “amor e ódio” ou “resguardar”.

    KS: Quando a banda foi formada?
    Aizou: Em 2005, no Anime Weekend.

    KS: Os integrantes são os originais da banda?
    Aizou: Quatro são os originais: Jhonny, Ferrera, Davi e Mari. Depois entraram Shino e, por último, o Vitor.

    KS: Primeira vez em Curitiba?
    Aizou: Primeira vez fora do estado, como banda. E a maioria pessoalmente.

    KS: Deu para conhecer a cidade um pouquinho?
    Aizou: Não. Chegamos direto para o show. Inclusive nos perdemos para encontrar o local. [normal ^^]

    KS: Então, eu posso fazer esta pergunta, que sempre o pessoal daqui da cidade faz a brincadeira: Vocês sabem o que é uma “vina”?
    Aizou: Salsicha. Acabamos de comer numa barraca lá fora. (risos)
    [comentário: Droga! Não deu certo ^^]

    KS: Qual é o estilo da banda?
    Aizou: Bastante pegada de guitarra e bateria. E ser mais do que uma cover. Procuramos mudar um pouco as músicas, tanto nos instrumentais quanto vozes, para ter a “cara” da banda Aizou. Principalmente pela banda não ter um tecladista, precisamos adequar os arranjos. E gostamos que seja assim.

    KS: Aproveitando que está tocando tema de Dragon Ball, enquanto não começam os shows: Quem é o mais otaku da banda?
    Aizou: É a Mari.

    KS: Então no caso, é uma otome (definição para garotas que gosta de animes, mangás)
    Aizou: Não sabia disso! Bem, eu gosto de anime shoujos, ou que tenham bastante sangue. E de mangás, Sakura Card Captors, Onegai Teacher, Onegai Twins, Love Hna [obs: Oba!]. Atualmente estou lendo NANA e Love Junkies.

    KS: Quais são as expectativas para o show aqui? Ser convidada para um festival, com outro público.
    Aizou: Eu (Mari) estou muito nervosa! Justamente pelo público ser diferente, desconhecido. Não temos a menor noção do que esperar.

    Teve uma vez, que tocamos numa praça. E tinha bêbados no local. Mas estava nem aí. Queria mesmo é tocar!

    KS: Obrigado pela entrevista. E bom show para vocês.
    Aizou: Nós que agradecemos.


















    Comunidade no orkut, clique aqui.
    My Space: www.myspace.com/aizoujrock

    *****

    Comunidades no orkut:

    - Fyujion
    - Khaos
    - M.Y.V. (Miyavi cover)
    - Violet Overload

    *****

    E o Gaijin no Fest já terá sua terceira edição! Acontecerá no dia 1º de maio. Mais informações, confira na comunidade AQUI.

    *****


    Até a próxima!

    4 comentários:

    1. é Marianna.
      da AiZOU.
      AHAHOAHOAHAHOUAUHOA
      Não tinha visto ainda a entrevista, adorei!!!
      Beijos pro Thiago.
      Mari.

      ResponderExcluir
    2. É Marianna.
      da AiZOU.
      HAOHAOHAOHAHAO
      Nem tinha visto a entrevista ainda!
      beijos, beijos
      Mari.

      ResponderExcluir
    3. Estava massa demais!

      ResponderExcluir
    4. @Marianna
      Foi muito legal a entrevista. Mesmo sendo meu batismo de fogo e na base do improviso, adorei.
      E estou escutando o CD sempre que possível.


      Infelizmente não deu para conferir a terceira edição. Mas já está marcada a próxima. E essa, eu não perco.

      ResponderExcluir

    Fashion

    Beauty

    Culture