Assine o Feed

sábado, 4 de abril de 2009

Mangás

Mangás: alguns ótimos títulos...

Os mangás são publicações muito populares no Japão. Novos títulos por lá são lançados quase que ao sabor do vento, apresentando variações em suas temáticas e estilos.

Contudo, do final dos anos 90 até o tempo presente, os fãs desta arte aqui no Brasil puderam ficar felizes, pois vários mangás passaram à ser publicados em nosso País.

Títulos variados, personagens diversos, estórias que variam do mais simples humor ao mais profundo drama. Hoje, pode-se dizer que há uma quantidade bem interessante de títulos sendo publicados, agradando aos mais variados gostos e tendências.

A compra de um mangá pode ser feita por diversas razões, entre as quais predomina o gosto pela cultura japonesa. Em tese, a busca por estórias e personagens envolventes é algo que conta muito na compra de um determinado mangá.

Muitos mangás merecem destaque. E agora o "Kotatsu Shinbun" mostra para você algumas dicas bem interessantes de títulos que valem - e muito - a compra.

O grupo CLAMP mostrando um futuro - talvez - muito próximo...

O mangá "Chobits".

Imagine que você vive em um futuro que talvez não seja tão fictício assim, onde os robôs sempre estão ao lado dos humanos. Inclusive, estes robôs possuem características muito similares às humanas, onde enganos chegam à serem inevitáveis. Este mangá chama-se "Chobits".

Estes robôs recebem o nome de persocons e possuem "n" finalidades, das mais fúteis às mais úteis possíveis. O mangá conta a estória de um jovem chamado Hideki, que foi para Tóquio terminar os seus estudos e que, em um certo dia, encontrou uma persocon jogada no lixo.

Toda a trama deste mangá está no dia-a-dia do Hideki e de sua persocon, chamada Chii. Muitas coisas acontecem na vida deste rapaz, e tentar entender o porque da Chii ter sido jogada fora é um grande mistério. Momentos de drama, humor e reflexão o aguardam neste ótimo título.

E como não poderia deixar de ser, "Chobits" possui belos traços ( com toda a qualidade do grupo CLAMP ), uma estória envolvente, e um final muito interessante e satisfatório.

As lendárias Guerreiras Mágicas...

O mangá "Guerreiras Mágicas de Rayearth".

Falar do grupo CLAMP e não citar uma de suas máximas obras é quase uma ofensa. Trata-se das aventuras das "Guerreiras Mágicas de Rayearth", um título dos mais prestigiados e fascinantes que existe.

Neste mangá, você é convidado a acompanhar as aventuras de três estudantes que, através de um chamado mágico na torre de Tóquio, são levadas à um outro mundo. Sim, está sendo falado de Hikaru, Umi e Fuu ( ou como são conhecidas no Brasil: Lucy, Marine e Anne, respectivamente ).

É uma aventura das mais interessantes, onde todos os personagens que se fazem presentes possuem papéis distintos e fundamentais. Além disso, em sua primeira fase o mangá chamará a sua atenção para um vilão que, na verdade, não é o que aparenta ser.

Muita ação, combinada com um drama e lutas sensacionais ( especialmente na segunda fase ) fazem todo o espetáculo em "Guerreiras Mágicas de Rayearth". Tudo isso alinhado à traços simplesmente magníficos, com um detalhe em particular: nestes traços, provavelmente estão os mais belos olhos já desenhados em um mangá...

Por favor: professora e primos...

Os mangás "Onegai Teacher" e "Onegai Twins".

Ao todo são quatro edições, sendo duas para cada título. Uma estória que, em seu contexto geral, envolve ficção, romance, comédia e drama. Todas estas características são cabíveis aos mangás "Onegai Teacher" e "Onegai Twins".

Em "Onegai Teacher" vemos o jovem Kusanagi Kei ter a sua vida transformada após a chegada de uma alienígena, que acabou se tornando a sua professora, chamada Kazami Mizuho. Ela veio à Terra em uma missão, no entanto muitas coisas ocorreram e os cursos inicias foram mudados.

Ver o Kei tentar superar a sua doença ( que o deixou por vários anos em uma espécie de coma ), ao lado de sua professora que acabou se tornando sua esposa por razão de sua segurança ( isso apenas inicialmente, porque depois mudou para um sentimento mais sério ), e contando com a participação de personagens muito divertidos, é algo que realmente vale muito ser visto.

E não muito atrás, tem a pseudo-seqüência chamada "Onegai Twins", onde os protagonistas buscam algo em comum: encontrar a sua família. Os jovens Kamishiro Maiku, Miyafuji Miina e Onodera Karen, por uma estranha força do destino ( e um certo OVNI ), acabam encontrando-se e vivendo sob o mesmo teto.

Muitas coisas aguardam por estes três, que buscam saber quem é a irmã gêmea do Maiku. Além disso, um forte sentimento passa a sustentar as duas moças sobre o rapaz, o que garante dosagens extras de drama e comédia.

Ambos os títulos são ótimos. E muito embora o traço não seja tão caprichado como nos mangás do CLAMP anteriormente citados, isso não se torna problema algum no momento da leitura...

Uma divertida pensão...

O mangá "Love Hina".

Procure imaginar um rapaz que é um fracasso total na vida, seja no estudo, seja com as mulheres. Mas que para cumprir uma promessa, não desiste de prestar o vestibular para a Toudai. Ele acaba vivendo em uma pensão, que lhe reserva uma grande surpresa...

O rapaz em questão chama-se Urashima Keitarô, que acaba indo viver na Hinata-Sou. O que ele não sabia é que ali era uma pensão apenas para garotas. Muitas confusões e mal-entendidos passam à fazer parte da vida diária deste "azarado" rapaz, que passa à ser o gerente do local, para o desagrado inicial de garotas como a Narusegawa Naru.

Entretanto, mediante à certos acontecimentos, o Keitarô passa a desconfiar que a Naru é a garota da promessa de anos atrás. Mas outras jovens estão no páreo para conquistar este rapaz, por mais que algumas delas relutam em aceitar que possuam tal sentimento...

Uma comédia romântica obrigatória, com direito à muitos desencontros, muito humor, e também com momentos de extrema seriedade. Assinada por Ken Akamatsu, "Love Hina" é um ótimo mangá.

_____
Até a próxima!
Por Carlírio Neto, da equipe do "Kotatsu Shinbun".

*****

Além dos títulos citados pelo Carlírio, que por sinal, possuem uma grande aceitação popular, existe também um mundo "underground" composto de títulos menos conhecidos, mas nem por isso de menor qualidade. Aproveitarei o meu espaço para contar um pouco sobre três deles. Todos possuem apenas um volume, e por isso, apresentam um ótimo custo-benefício. São histórias curtas, porém cativantes, cada qual do seu jeito. E o melhor de tudo é que todos os títulos citados estão disponíveis no mercado nacional.

1945


A história se passa durante o período entre guerras e se estende até a Segunda Guerra Mundial. Tudo começa nos anos 30, na Alemanha nazista de Adolf Hitler. Em meio a toda euforia e avanços conseguidos pelo novo governo alemão, que inclusive tirou o país da crise, três jovens tem os seus destinos cruzados pela guerra.

Alex, Elen e Maximillian é o nome deles. Elen e Maximillian são dois irmãos que seguem relutantes diante das medidas impostas pelo fuhrer, e se recusam a se aliar as entidades paramilitares mantidas pelo governo alemão. Sendo assim, constantemente serão alvo do alto escalão do governo.

Já Alex, diferente dos outros dois é um ávido partidário da Juventude Hitlerista, um dos grupos responsáveis e mais ativos na divulgação das idéias do fuhrer. A história avança mostrando um encontro repentino entre Alex e Elen anos antes do começo da segunda guerra, e com o tempo desenvolve a relação dos dois em pleno combate.

Já Maximillian será uma espécie de "rebelde" por quase toda trama, sempre tentando mostrar às pessoas as "farsas" por trás das idéias impostas pelo governo alemão. Claro que a repressão agirá com força diante das suas ações. Apesar de curto e fugir da temática comum dos mangás, essa obra-prima de Keiko Ichiguchi tem uma comovente trama de romance, aliada a diversas passagens fieis ao acontecimento da vida real, tendo um grande valor histórico.

Socrates in Love


Baseado num drama de grande sucesso no Japão, e um dos mais tristes, Socrates in Love não é recomendado para pessoas fracas sentimentalmente. O mangá narra a história de dois adolescentes comuns, Aki e Sakutaro. Apesar de começar de forma simples como qualquer outra história de romance, a amizade, e conseqüentemente, o amor dos dois começará a ficar cada vez mais em evidência.

O que torna a história triste além dos acontecimentos posteriores do mangá é a delicadeza dos traços e a maneira como certas situações são narradas pelo protagonista Sakutaro, que no começo da história já é um adulto, e apenas narra os acontecimentos da sua vida passada.

Para se ter uma idéia do impacto que a história pode causar, a desenhista Kazumi Kazui confessou ter chorado durante todo trabalho de produção do mangá. Parte dessa tristeza ela diz ter tentado passar a partir da arte do título, e de fato, o resultado surpreende bastante. O traço segue o estilo delicado dos shoujos, mas não poderia ser melhor diante de um romance.

Grimms Manga


Baseado nos clássicos contos dos irmãos Grimms, o mangá narra de forma alternativa e divertida cinco desses contos. Além de histórias tradicionais como a da "Chapeuzinho vermelho", "Rapunzel" e "João e Maria", temos ainda dois mais desconhecidos como "Os doze caçadores" e "Os dois irmãos".

Diferente das histórias tradicionais, a narrativa dos contos muda em relação ao original, mostrando situações diferentes daquelas esperadas. Por exemplo, o lobo mal entra em conflito com si mesmo quando conhece chapeuzinho vermelho. Ele passa quase a história inteira "filosofando" sobre sua conduta.

Essa mesma linha de pensamento diferenciada aparece em qualquer outro dos contos. Apesar de manter o clima de fantasia, o modo de pensar das personagens tem um ar mais adulto, se assim podemos dizer. E apesar do espaço aparentemente pequeno, os contos começam e terminam no momento certo, sem enrolação e apenas mostrando aquilo que interessa.

Aliado a tudo isso, temos a ótimo atmosfera criada pela autora Kei Ishiyama, que ainda fez questão de dar um visual mais moderno e bonito as histórias. Esse é um título recomendado tanto para as crianças, como para os adultos.

_____
Por Leandro Nisishima, da equipe do "Kotatsu Shinbun".

*****

Informações e novidades!

Em março, as editoras Shogakukan e Kodansha comemoraram 50 anos de publicação de suas revistas Shonen Jump e Shonen Magazine, respectivamente. Ambas foram lançadas no mesmo dia: 17 de março de 1959.


A celebração contou com evento conjunto no Tokyo Imperial Hotel, com a presença de 158 mangakás. O site Gigazine publicou fotos e vídeos do evento.

A Shonen Sunday publicou uma one-shot especial "My Sweet Sunday", de criação de Rumiko Takahashi e Mitsusu Adachi. Quem quiser lê, a editora disponibilizou em seu site oficial (em japonês).

*****

Rumiko Takahashi mal terminou Inuyasha e já planeja um novo trabalho. Ainda sem nome definido, será publicado na Shonen Sunday já nesta primavera (outono para nos).

E para comprovar a rapidez, ja foi confirmado o lancamento nos EUA, devidamente traduzido. Começara ate o final do ano. Quem sabe chegue ao Brasil rapidinho também?

*****



Foi anunciado um novo mangá de Azumanga Daioh, no site da editora Yotsuba&! Studio. O projeto, em comemoração aos 10 anos do lançamento do piemeiro mangá, está sendo desenvolvido faz um ano. A editora prometeu novas artworks, mas ainda não divulgou a equipe envolvida.

*****

Saiu uma reportagem no site “A Capa<” sobre a personagem Denise, da Turma da Monica Jovem, estar usando “girias gays” A materia completa, clique aqui.


O site tambem afirma que Magali ja usou tais girias na “versao mangá”.

Comentário - Thiago3T:

A notícia é antiga, mas vale a pena comentar...

Resolvi comprar o mangá como curiosidade não somente para conferir (finalmente) como ficou o formato, mas tambem pelo estilo das historias serem mais “slice of life” nesta edição. Não me chamou a atenção a aventura pelas dimensõess, nem o aguardado beijo entre Cebolinha e Mônica. E devo dizer que gostei das historias da edição 5. Mesmo tendo uma parte educacional, quando a Dona Luisa (ou Dona Coisa, como a Magali a chama) fala sobre “adolescência e seus hormônios”.

Sobre a personagem Denise, nao sei se foi uma maneira de estereotipar ainda mais a patricinha, ou realmente pensam no futuro colocar um personagem gay nas historias (como foi questionado na materia). Acredito ser mais a primeira opcao. Mas acertaram em cheio mesmo assim.

Esse “plus” deixou a personagem com uma marca registrada. Denise consegue fazer bem o papel de patricinha exagerada em situacoes cômicas, que aparecem em muitos animes. Ela e Magali são as mais engracadas. E juntando com as “bandeiras dadas” da Mônica, o trio pode ser muito bem aproveitado neste estilo de história.

Pena que voltaram com as aventuras, desta vez no espaco, sendo um remake do filme animado “A Princesa e O Robo” (que, aliás, deve ter uma VHS aqui em casa escondida. Lembro de ter visto algumas vezes quando criança ^^).

Fica a esperanca de que voltem ao estilo “slice of life” de A Turma da Mônica Jovem. Tem muito para aproveitar...... e abusar, menina!

*****



O mangá The Best of Pokemon Adventures, de Mato e Kusaka Hidenori, venceu na categoria Melhor Mangá, em premiaçaõo cridada pela Nickelodeon Magazine. Os outros concorrentes eram Fruits Basket, Kingdom Hearts II, Naruto e One Piece.

A curiosidade fica na derrota do personagem Hatake Kakashi na categoria “Melhor Cabelo nos Quadrinhos” para...... Calvin, das tirinhas Calvin e Haroldo (Calvin and Hobbes).



"Sou mais róquis!"



____
Por Thiago 3T, da equipe do "Kotatsu Shinbun".
Share this post
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...

0 comentários

:) :-) :)) =)) :( :-( :(( :d :-d @-) :p :o :>) (o) [-( :-? (p) :-s (m) 8-) :-t :-b b-( :-# =p~ :-$ (b) (f) x-) (k) (h) (c) cheer

 
© Kotatsu Shinbun
Designed by BlogThietKe Cooperated with Duy Pham
Released under Creative Commons 3.0 CC BY-NC 3.0
Posts RSSComments RSS
Back to top