Assine o Feed

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Review 1: K-ON!



Leandro Nisishima


Mio: A nova rainha "moe"?

Antes da estréia de K-ON! o título era considerado como uma espécie de "tapa buracos" até a chegada do novo Suzumiya Haruhi. E motivos para isso não faltavam, afinal o mangá de K-ON! nem era considerado grande coisa, e poucos (além dos ávidos leitores da Manga Time Kirara) conheciam o título em questão. Porém foi só o anime estrear que tudo isso mudou e qualquer expectativa pessimista acabou sendo contrariada. Isso provou também o quanto o KyoAni é um estúdio prestigiado e respeitado por lá.

K-ON! apresenta uma idéia simples e aparentemente banal, mas desenvolvida de forma relativamente satisfatória por um bom estúdio de produção. De algo totalmente desconhecido em sua estréia, K-ON! se tornou um hit em questão de semanas. Logo nos primeiros dias após a estréia, uma série de AMVs e outras montagens surgiram primeiramente no NicoNico e depois no YouTube. O sucesso se seguiu com o aumento na venda de guitarras e outros instrumentos musicais, em especial aqueles que apareciam no anime.

Como se não bastasse, os singles de abertura e encerramento, além da insert song Fuwa Fuwa Time conquistaram o topo do ranking de vendas do Oricon. Mas aí fica a seguinte pergunta, K-ON! é tão bom assim? A resposta curta é grossa é: sim e não. Se por um lado está acima daquilo que se esperava, por outro não comprova nem convence, perto do hype criado em torno da série. K-ON! é uma comédia com a cara do Kyoto Animation, tendo um estilo parecido com a de Full Metal Panic? Fumoffu, mas sem a criatividade desse último.

O maior problema nas piadas de K-ON! é que apesar da simpatia da maioria das personagens, a variedade de boas piadas cai com o passar dos episódios, sendo que várias começam a se repetir depois da metade. E mesmo esse elenco de personagens nem sempre é simpático, situações repetitivas acontecem também nesse caso. Basta perceber o quanto insistem no lado "moe" da Mio, que embora seja a "deusa" do momento entre os otakus japoneses, em termos de construção e desenvolvimento de personagens não passa de uma tentativa frustrada de jogar todos os elementos "moe" numa só pessoa.

Esse elenco pelo menos conta com personagens que mudam e seguem sendo carismáticas ao longo da série, como é o caso da própria Yui e Tsumugi (embora essa não tenha tanta participação). Além delas temos algumas personagens mais "estáticas" nesse ponto, como é o caso da Ui, Nodoka e Ritsu. Entretanto, o maior problema no elenco é sem dúvida a presença de duas personagens que acrescentam realmente pouco ao anime, além de que uma delas ajuda a promover o clima de dejá vu ao longo do anime. A personagem em questão é a Sawako-sensei, que estreou na série apenas para jogar fanservice gratuito, que da primeira vez até passa, mas que depois de várias milhões de vezes começa a ficar irritante.

No mangá era assim, mas foi um erro manter tudo na mesma, pois é demasiadamente exagerado. A outra personagem mal aproveitada é a Azusa, que entra perto do final da série. Em parte, devido ao fato dela só ter aparecido recentemente no mangá, e a outra pelo fato do KyoAni ter resolvido animar um mangá relativamente novo (com apenas dois volumes publicados). A participação da Azusa é realmente pequena, e não adiciona muito a história como um todo. Porém, tirando esses pequenos problemas com os personagens e a sensação de dejá vu depois da metade, K-ON! é uma comédia simpática na medida do possível.

Não tem o brilho de grandes séries de comédia como Azumanga Daioh ou mesmo Lucky Star. Por outro lado acabou sendo um sucesso de público maior do que as duas séries em questão. Algo que realmente ajuda em K-ON! e conta nota ao anime são as músicas, até por ser o tema principal da série. Não há nada de muito difícil sobre o assunto na série, o que pode desapontar o fã hardcore, mas as canções tocadas são empolgantes e um dos pontos altos do título. A Fuwa Fuwa Time se tornou um hit no mercado musical japonês, sendo que é a principal música tocada durante o anime. A opening e a ending nem preciso comentar, ambas foram consideradas uma das melhores canções da temporada passada e talvez sejam até do ano todo.

Para finalizar, embora a trilha sonora seja boa, o mesmo não se pode dizer sobre os traços. Parece que cada vez mais o KyoAni tem relaxado em relação aos traços. Senti um pouco isso em Clannad perto de Kanon e Air, mas é notável quando olho para K-ON!. Os traços são até simpáticos, mas perderam em termos de beleza quando comparado aos tempos de "ouro" do estúdio. Espero que isso não se torne padrão, pois a primeira vez que liguei o sinal amarelo para o estúdio foi com MUNTO e agora K-ON!, justamente as duas obras mais recentes deles. Se o sucesso subir a cabeça não sei se o próximo anime do estúdio será bem avaliado nesse espaço. E espero que não seja Suzumiya Haruhi no Yuuutsu 2, mas se continuarem a repetir o Endless Summer sem novidades, é um sério candidato.


Sawako-sensei em uma das suas aparições dispensáveis...

NOTA: 5,5 - Apesar da popularidade e do visual simpático, K-ON! é uma prova de que o KyoAni precisa rever certos conceitos. Se MUNTO decepcionou, K-ON! é uma relativa decepção e um sinal amarelo para o estúdio que pode estar deixando o sucesso subir a cabeça.

Carlírio Neto

"Música, humor e moe para quem quiser..."

A Yui, em um dos seus estilos faciais...

Na última temporada de abril, surgiu na televisão japonesa um anime que muitos rotulavam como sendo apenas um "tapa buraco" até a então aguardada estréia dos novos episódios de Suzumiya Haruhi no Yuuutsu. Entretanto, este anime rendeu uma aceitação do público muito acima do esperado, e as suas músicas ficaram sempre bem colocadas nos rankings nipônicos.

Tal anime tem o sugestivo nome de K-ON!, tendo um clube de música como tema central, e apresentando aspectos de um título do gênero slice-of-life ( tal como o consagrado Lucky Star, o saudoso Azumanga Daioh e o ótimo Hidamari Sketch, por exemplo ). O anime seguiu sob a tutela da Kyoto Animation, apresentando um visual muito similar ao das aventuras de Konata e companhia...

Assim como se fazia esperar, K-ON! apresenta personagens de características próprias, possuidoras de um bom nível de carisma, e sendo regatas à um elevado apelo moe. A Yui é disparadamente a mais bobinha do grupo ( mas ao mesmo passo é uma das mais simpáticas, se não for a mais ), enquanto que a Ritsu é a mais espertinha ( no pior sentido da palavra ). A Mio é aparentemente a mais séria do grupo ( porém um tanto quanto medrosa ), e a Tsumugi é a mais "certinha" ( mas muito inocente ).

Além do grupo principal acima citado, tem-se ainda a irmã mais nova da Yui que se chama Ui ( que é o contrário da Yui nos fatores inteligência e responsabilidade ), a Azusa ( que parece ser até mais séria do que a Mio, porém é bem acanhada ), e a professora Sawako ( extremaente boazinha no início, mas muito chata do meio para o final da série ).

A criação de um clube de música leve na escola ( daí o nome do anime ) é o pilar do título. Um pouco do dia-a-dia das garotas na escola é mostrado no anime. Em seu início, K-ON! transbordou maestria nos fatores aos quais ele se propôs ( como o humor ), e muitos chegaram à equipará-lo à Lucky Star ( um ícone entre os animes do gênero slice-of-life ). Porém, à partir da metade da série, K-ON! sofreu uma queda de qualidade em sua estória e no aproveitamento dos personagens, fato este melhor visto na fraca utilização da Azusa e na irritante manifestação de fanservice por parte da Sawako.

Contudo, tirando os problemas no parágrafo acima citados, K-ON! conseguiu situar-se em uma média bastante aceitável e, graças ao seu início, bem satisfatória. Obviamente, a repetição de fatos ( com acontecimentos um pouco diferenciados, porém de mesmo enfoque ) é algo que pode saturar a paciência um pouco. Mas, na pesagem final, o anime ainda consegue cumprir o seu papel.

Visualmente, K-ON! é um anime muito bonito, com traços um pouco mais infantis, com uso de cores quase primoroso ( neste quesito, a Kyoto Animation mostrou um grande trabalho ). Entretanto, a parte sonora do anime é que deu o espetáculo. Os temas de abertura e de encerramento ficaram por muito tempo nas primeiras colocações nos diferentes top´s musicais japoneses. Além de tudo isso, criou-se uma verdadeira febre de K-ON! entre os fãs de animação, que repercutiu na venda de produtos sobre o anime ( inclusive de instrumentos musicais ).

Com um efeito moe acima da média ( e alguns escorregões durante a passagem do anime ), personagens simpáticos ( com uma clara exceção ) e ótima apresentação visual ( com direito à um áudio espetacular ), K-ON! acaba sendo uma boa pedida. Trata-se de um anime que merece ser recomendado.

O grupo reunido: mas está faltando alguém...

NOTA : 8,0 - Tirando os "escorregões", K-ON! é um bom anime ( que merecia, ainda assim, um melhor tratamento ).

Thiago3T

"Fenômeno instantâneo. E (provavelmente) passageiro... Infelizmente."

A banda “Hora do Chá Depois da Escola”.

O anúncio de K-ON! deu-se pouco depois de que Suzumiya seria reprisado e nada da tal segunda temporada, na época. Lembrem-se que a Kyoto Animation nunca divulgou oficialmente os novos episódios de Haruhi e cia. Embora que tivesse uma lista rolando na net, eles simplesmente jogaram os novos episódios junto com os reprisados. Foi uma boa jogada, pois deixou os fãs “lokos” atrás de informações. E nesse contexto que foi apresentado o anime a ser avaliado aqui.

Muitos acharam que seria um simples tapa-buraco, e depois vira “Suzumiya 2”. Mas a expectativa em torno de K-ON! era boa. Os traços eram similares a Lucky Star, outro sucesso da KyoAni. E ambos foram criados originalmente no mesmo formato: 4koma. Além do tema principal ser uma das modas no momento: música. Exemplos recentes são Beck, Nodame Cantabile, NANA e Detroit Metal City.

Quando saiu o primeiro episódio, K-ON! tornou-se uma febre imediata. Inclusive entre os membros do KS. Todos já sabiam os nomes direito e tinham suas personagens preferidas. Tanto que, dias depois, já tinham vídeos no YouTube: AMVs, MADs, além da abertura e encerramento.

Outro fator foi o elemento moe, que também é uma das modas entre os animes. O grande exemplo é Mio, que, com uma força de suas colegas, tornou-se ícone entre os otakus, ficando em primeiro lugar nas pesquisas feitas.

Então, o que é K-ON!? Não conhece? Então está perdendo um dos maiores fenômenos recente.


"Utan Utan", "Moe moe, kyun!" e "Nyan...". Aposto que você ficava falando também...

A protagonista é Yui Hirasawa, uma garota que acaba de entrar no Ensino Médio. Em toda sua (curta) vida, nunca tinha feito nada além de comer e dormir. E em sua nova etapa, quer fazer algo novo, diferente. Então decide que irá participar em algum clube do novo colégio. O problema é: qual clube entrar?

Enquanto isso, Ritsu Tainaka e Mio Akiyama (esta por livre e espontânea pressão), grandes amigas, decidem fazem parte do “Clube de Música Leve” do colégio. Descobrem que o clube não tem nenhum membro, e para continuar funcionando, precisam ter quatro membros no mínimo. No primeiro esforço, não conseguem atrair ninguém. Quando estão prestes a perder as esperanças, aparece Tsumugi Kotobuki. A garota gosta da animação do local e decide fazer parte. Agora falta mais um. Mas quem?

Dias depois, o Clube de Música Leve recebe uma ficha de inscrição. O nome: Yui Hirasawa. As três ficam felizes pois o clube não será fechado. E elas tentarão tudo para não perder essa oportunidade.

Yui confessa que não sabe tocar nenhum instrumento, mas gosta também do local e também decide fazer parte. O clube pode ser finalmente oficializado. Isso claro, com muitas confusões para fazer Yui tocar guitarra, a banda ensaiar, Ritsu lembrar de suas funções como presidente e todas sob a supervisão da professora Sawako. No ano seguinte, elas ganham uma quinta integrante: Azusa“-nyan” Nakano.

As partes cômicas são o forte do anime. Confesso que eu ri muitas vezes, principalmente envolvendo Mio e Ritsu. Mas como a grande maioria percebeu, acabou se desgastando nos episódios. O melhor exemplo é nos fanservice que Sawako obrigava as alunas experimentar novas roupas, sendo a principal vítima Mio.

Achei que com a vinda de Azusa, tivéssemos algo novo. E que vimos foi uma extensão das mesmas coisas. Um bom exemplo é que apenas “jogaram” ela na abertura do anime. Achei que iria ter com música nova. Ficou a decepção.

Faltou também maior aparição de Ui (irmã de Yui) e Tsumugi, sendo esta muito criticada. Teve episódios que Mugi-chan mal aparecia. Parecia que sua função era levar bolinhos e servir chá.

Dois episódios que foram a mesma coisa: viagem de treinamento. O que mudou foi a presença da Azusa, e a casa de verão de Tsumugi ser maior na segunda vez. E, como consequência, o número de risadas diminuía, por ter aquela sensação de “deja vú”.

Faltou o pedobear.

Dos traços, a associação com Lucky Star é imediata. Personagens mais “baixinhas” e “cabeçudinhas” (SD), e as expressões recorrem a Konata e cia. Porém, nota-se uma qualidade inferior com K-ON!. Principalmente quando as personagens estão mais longe da câmera. Os cenários de fundo são bons, cheio de detalhes.

Entre as dubladoras, não conhecia nenhuma. E gostei do trabalho. Tanto que todas caíram nas graças do público. Destaque para Youko Hikasa (Mio) e Aki Toyosaki (Yui) cantando.

As músicas são o forte do anime (clube de música, dããã). Eu adorei as “opening” (Cagayake Girls) e “ending” (Don´t Say Lazy). Tenho aqui e está entre as preferidas. E faço este review escutando as músicas da banda “Hora do Chá Depois da Escola”.

Fazia tempo que uma trilha sonora de um anime fizesse tão sucesso. Tanto que as vendas de CD chegaram ao Top Oricon. Outra conseqüência foi o aumento na venda de instrumentos musicais no Japão. Principalmente de guitarra e baixo. E pediam que fossem o modelo usado pelas personagens. Inclusive de uma garota comprar o baixo para canhoto, mesmo sendo destra. Tudo para poder tocar que nem Mio-chan.

O último episódio conseguiu encerrar bem a série. Com direito a duas músicas novas. E boas. Até parece que resolveram caprichar mais nele. E ainda teve um episódio extra.

Muitos queriam que tivessem mais episódios. Mas eu (e os outros integrantes do KS), concordam que o número foi suficiente, para não estragar (ainda mais). O que é bom dura pouco, infelizmente.

Se gostaram de K-ON!, um OVA será lançado em 2010 no primeiro semestre.

Ah! E o meu ranking das garotas:

1º Mio
2º Ui
3º Tsumugi
4º Azusa
5º Yui
6º Ritsu

MEETTAAAAAALLLL!!!!

NOTAS:

Traço: 3,7 - Um novo Lucky Star? Não;
Estória: 3,5 - Uma comédia no colegial. Típico de animes;
Música e efeitos sonoros: 4,5 - As músicas são viciantes;
Personagens: 3,8 - Com seus estereótipos, fizeram sua simpatia. Mas o exagero de uns prejudicou em poder conhecer mais o resto das garotas;
Conjunto: 3,7 - Muitos elementos repetidos, sendo que poderiam aproveitar outros.

NOTA FINAL: 3.84/5.0 - Mesmo com a queda na qualidade durante os episódios, não podemos negar que K-ON! conquistou fãs no mundo todo.

*****

Personagens


Yui Hirasawa


Mio Akiyama


Ritsu Tainaka


Tsumugi Kotobuki


Azusa Nakano


Sawako Yamanaka


Ui Hirasawa


Nodoka Manabe
Share this post
  • Share to Facebook
  • Share to Twitter
  • Share to Google+
  • Share to Stumble Upon
  • Share to Evernote
  • Share to Blogger
  • Share to Email
  • Share to Yahoo Messenger
  • More...

1 comentários

  1. Muito boa mesmo a review. Falaram tudo de K-On!
    Thiago3T também fiquei decepcionado que não teve um OP e nem ED novos com a entrada da Azusa... ela nem aparece no ED...

    ResponderExcluir

:) :-) :)) =)) :( :-( :(( :d :-d @-) :p :o :>) (o) [-( :-? (p) :-s (m) 8-) :-t :-b b-( :-# =p~ :-$ (b) (f) x-) (k) (h) (c) cheer

 
© Kotatsu Shinbun
Designed by BlogThietKe Cooperated with Duy Pham
Released under Creative Commons 3.0 CC BY-NC 3.0
Posts RSSComments RSS
Back to top